11 de outubro: Dia Mundial da Obesidade

Organização Mundial da Saúde criou a data para alertar a população sobre a doença

obesidade   Nutricionista explica que o pior erro é descontar o sentimento de tristeza na comida.

O mês de outubro faz alerta a várias doenças graves que acometem as pessoas. Uma delas é a obesidade. A doença ganhou um dia no calendário mundial, instituído pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em 1997, para lembrar a população da importância de manter hábitos saudáveis e prevenir a obesidade.
Este ano, o tema é “Obesidade: eu trato com respeito”. E segundo a nutricionista, Marina Uvo, depressão, ansiedade, angústia, stress, correria e muitas distrações, são os relatos mais comuns entre os pacientes com diagnóstico nutricional de obesidade.
A nutricionista relata que as pessoas se envolvem tanto com os problemas do dia-a-dia que se esquecem. Passam longas horas do dia sem se alimentar, priorizando tantas outras atividades do dia, e quando se alimentam, fazem isso sem prestar atenção. Comem e bebem para esquecer os problemas ou até para relaxar, quando deveriam buscar o aconchego da família, de um ombro amigo, ou de um psicólogo. E faz um alerta, “não se permita internalizar os problemas, mais vale um banho quentinho, uma boa noite de sono, dispersar toda energia com atividades de lazer, do que descontar na comida”, explicou.
Este tipo de comportamento alimentar está diretamente relacionado ao crescente número de casos de obesidade no Brasil. A prevenção ainda é a melhor ferramenta, e começa desde a introdução de hábitos alimentares saudáveis, às práticas de atividades físicas regulares e, claro, ao desenvolvimento da capacidade de lidar com os problemas e dificuldades, da autoconfiança, da autoestima e, acima de tudo, do amor-próprio.
“No caso da alimentação, para prevenir a obesidade, comece dedicando-se mais às suas refeições: Planeje suas compras e use sua criatividade com receitas saborosas e saudáveis; Reserve os horários para cada refeição, coma devagar, dê atenção plena à comida; Organize-se para levar os lanches de casa e não ficar dependendo do que aparecer no caminho; Beba água, leve uma garrafinha consigo se necessário; Prefira sempre os alimentos in natura ou minimamente processados, eles também são práticos e acessíveis (frutas frescas ou desidratadas, sementes, castanhas, iogurtes, pães integrais, queijos, entre outros)” listou a especialista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.